Saiba como controlar o nível de tártaro nos dentes.

tártaro, também conhecido como cálculo dental, é definido como o resultado da mineralização da  ou biofilme maduro na superfície dentária.

O motivo principal da formação do tártaro, além da má higienização, é uma alimentação excessivamente acidificante, rica em açúcar, alimentos refinados e gorduras prejudiciais.

Existem dois tipos de tártaro:

  • Tártaro Supragengival (salivar): localiza-se acima da borda da gengiva, sendo observado ao exame visual. Apresenta coloração esbranquiçada ou amarelada, é quebradiço e destaca-se com facilidade. Deposita-se rapidamente e são mais comumente encontrados nas superfícies dentais adjacentes às glândulas salivares, ou seja, nas superfícies vestibulares dos molares superiores e superfícies linguais dos incisivos inferiores. Os tártaros concentram-se na região mandibular anterior. Sua remoção é feita através de instrumentos manuais, como os extratores de tártaros. Pode-se também utilizar o ultrassom odontológico e, em seguida, com o auxílio dos instrumentos manuais, realizar a limpeza fina.

 

  • Tártaro Subgengival: é encontrado abaixo da borda gengival, impossibilitando sua observação ao exame visual. Em certos casos, pode ser visto por transparência nos tecidos da gengiva, dando a esta uma coloração escurecida. Apresenta consistência mais firme quando comparada ao tártaro supragengival, encontra-se fortemente aderida à superfície do dente, e possui coloração enegrecida ou esverdeada. Sua remoção é através de curetas, sem lesar a gengiva. Nos casos mais severos, a face do epitélio interno da gengiva que fica voltado para o dente pode ser curetado com delicadeza, retirando-se o tecido necrosado.

 

A melhor forma de evitar a formação de tártaro nos dentes é manter uma boa higiene bucal, escovando os dentes após as refeições e utilizando o fio-dental, pelo menos, duas vezes ao dia, além de visitar o dentista regularmente.

 Confira outras dicas de como manter uma boa higiene bucal clicando aqui